quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

COMO SABER SE ESTOU MESMO COM VERRUGAS GENITAIS?

A verruga genital (condiloma acuminado), também conhecida popularmente como crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é a doença com maior prevalência relacionada ao vírus do HPV entre a população brasileira, atingindo 39,6% dos homens e 21% das mulheres1. Caracterizada por lesões sólidas na pele (chamadas de pápulas), únicas ou múltiplas, aparecem geralmente em locais como vulva, períneo, ânus, região perianal, vagina, colo do útero, pênis ou escroto.

Ø Sugestão de pauta: Saiba que é possível evitar esse problema que acomete grande parte da população sexualmente ativa

Ø Principais dados:

Causada na maioria dos casos (90%) pelos subtipos virais 6 e 11 do HPV (Papilomavirus Humano), a verruga genital – assim como a maioria dos tipos de HPV – possui uma taxa de transmissão mais elevada do que outras DSTs virais comuns e, por este motivo, extrapola o controle tradicional desse tipo de doença.
Estimativas apontam que 70% das pessoas que têm contato sexual com pessoas com verrugas genitais irão desenvolver a lesão no prazo de três meses.
A cada ano são registrados no país 137 mil novos casos de infecção por HPV. Ao redor do mundo, a infecção pelo Papilomavírus Humano já atinge cerca de 630 milhões de pessoas, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).
Oito em cada dez indivíduos sexualmente ativos entrarão em contato com o vírus no decorrer de suas vidas.
Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde (MS), em 2005, com o objetivo de estabelecer a frequência e a prevalência de DSTs em seis capitais brasileiras (São Paulo, Fortaleza, Manaus, Goiânia, Rio de Janeiro e Porto Alegre), revelou que a prevalência global de verrugas genitais entre as gestantes incluídas na pesquisa foi de 5,7%. Ou seja, 188 das 3.303 gestantes entrevistadas apresentaram verrugas genitais.
O mesmo estudo também demonstrou as principais características das pessoas com maior prevalência de HPV: menores de 20 anos; com até o segundo grau completo; famílias de menor renda; pessoas com mais de um parceiro no ano anterior; solteiros; asiáticos e usuários de drogas injetáveis.
Outro índice relevante do estudo refere-se à prevalência das verrugas genitais entre homens e mulheres que procuraram clínicas de DST: 21,5%.

Ø Tratamentos e prevenção:

- Imagem capturada no google -
Não há tratamento totalmente satisfatório para as verrugas genitais. A prevenção é o melhor caminho.
As opções atuais de tratamentos existentes são: remoção das verrugas por laser, crioterapia (congelamento) ou cirurgia com uso de anestésicos locais. Há tratamentos com substâncias químicas, como resina de podófilo e ácido tricloroacético, que podem ser diretamente aplicados nas verrugas. Esses métodos, no entanto, exigem muitas aplicações, que podem durar semanas ou até meses, e ainda provocar queimaduras da pele circunvizinha e, frequentemente, fracassam.
A vacina quadrivalente contra o HPV (comercialmente conhecida como Gardasil) protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18 do vírus e é efetiva na prevenção de verrugas genitais, causadas pelos tipos 6 e 11 e contra o câncer de colo de útero, câncer vulvar, câncer vaginal e câncer anal, causados pelos tipos 16 e 18. Outros importantes tipos do HPV também apresentam proteção cruzada pela vacina quadrivalente.
No Brasil, a vacina quadrivalente contra o HPV é indicada para meninas e mulheres de nove a 26 anos. Em maio desse ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou a vacina quadrivalente para prevenir as verrugas genitais causadas pelo HPV 6 e 11 no público masculino: em meninos e homens de 9 a 26 anos.
A vacina quadrivalente contra o HPV é administrada em três doses, com aplicação intramuscular. A primeira pode ser aplicada em data escolhida, a segunda dose é administrada dois meses após a primeira e a terceira dose, seis meses após a primeira.


Ø Informações Adicionais:

Os impactos do HPV na saúde pública e no indivíduo
ü O sistema público de saúde do Brasil investe anualmente, segundo dados disponíveis no Departamento de Informática do SUS (DATASUS), cerca de R$ 80 milhões no rastreamento e diagnóstico do câncer cervical e mais de R$ 100 milhões em internações e quimioterapia. Não existem dados oficiais sobre ônus com verrugas genitais. Nos Estados Unidos, o prejuízo anual de todas as doenças relacionadas ao HPV variou de US$ 2,35 bilhões a US$ 4,6 bilhões (dados monetários de 2005), dos quais US$ 181,5 milhões a US$ 393 milhões estavam associados a casos de câncer cervical.

ü Do ponto de vista social e psicológico, o impacto das enfermidades relacionadas ao vírus tanto para homens quanto para mulheres é devastador. A natureza sexualmente transmissível pode causar estresse, baixa autoestima, ansiedade e abalar a vida de um casal para sempre.

Ø Porta-voz:

Dra. Adriana Campaner, chefe do Ambulatório de Colposcopia da Santa Casa de São Paulo e professora da disciplina de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas da mesma instituição.

Ø Referência bibliográfica:

1. Pincinato AL, Horta SH, Filho PR, Formiga GJ. Recidiva de Lesões Associadas ao HPV em Pacientes HIV Positivos Após Tratamento Cirúrgico. Ver Bras Coloproct 2009; vol.29 (2).


Curso online de Feridas e Curativos - Técnicas e Tratamentos

Nenhum comentário:

Postar um comentário