Assista nosso Programa

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Região Sudeste recebe R$ 534 mil para assistência farmacêutica

O recurso será destinado para contratação de profissionais e aprimoramento de serviços. O objetivo é garantir melhor organização de estoques de medicamentos e atendimento à população


A Região Sudeste vai receber R$ 534 mil para aprimorar a qualidade e estrutura dos serviços farmacêuticos das unidades de saúde. A iniciativa faz parte do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica no âmbito do Sistema Único de Saúde (Qualifar-SUS). Ao todo, 89 municípios - dos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo - receberão o recurso. O montante poderá ser destinado para a contratação de profissionais, além do aprimoramento dos serviços de conectividade dos locais. O Objetivo é proporcionar agilidade no atendimento à população e melhorar a organização dos estoques de medicamentos. O recurso foi publicado no Diário Oficial da União (DOU).

No total, o Ministério da Saúde destinou mais de R$ 5,8 milhões para 968 municípios do país. A ampliação no investimento e no aprimoramento da informatização é um dos principais objetivos do Ministério da Saúde. “Devemos melhorar a qualidade dos serviços ofertados com recursos que temos disponíveis e, sem dúvidas, o investimento na informatização é um dos caminhos” afirma o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

A estratégia de qualificar os serviços de saúde integra o conjunto de investimentos já realizados por meio do Projeto de Qualificação da Assistência Farmacêutica e Intervenção Sistêmica da Assistência Farmacêutica nas Redes de Atenção à Saúde - QualiSUS-Rede. O projeto foi desenvolvido em 15 regiões do país, em 486 municípios, com entrega de computadores, realização de pesquisa diagnóstica sobre os serviços farmacêuticos e ofertas educacionais na modalidade à distância para mais de cinco mil profissionais de saúde.

O PROGRAMA - Para participar do Qualifar-SUS, o município deve estar na lista do Brasil Sem Miséria (Plano interministerial voltado para a população mais pobre) e fazer parte de outros programas da Atenção Básica, como o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), Programa de Requalificação das Unidades Básicas de Saúde (Requalifica UBS), e o Hórus, sistema de Assistência Farmacêutica que permite o controle da compra, armazenamento, distribuição e dispensação dos medicamentos.

Organizado em quatro eixos (estrutura, educação, informação e cuidado), o programa engloba, desde investimentos na estruturação dos serviços farmacêuticos, até ações de cuidado ao usuário. A proposta é contribuir para o aprimoramento, implementação e integração das atividades da assistência farmacêutica nas ações e serviços de saúde, visando uma atenção contínua, integral, segura, responsável e humanizada.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Modernização da legislação é tema de encontro do ministro Ronaldo Nogueira com trabalhadores e empresários

Ele se reuniu com centrais sindicais e entidades de mão de obra temporária


O ministro ouviu reivindicações dos representantes dos trabalhadores e esclareceu pontos da proposta enviada ao Congresso. Ronaldo Nogueira propôs a criação de um grupo com dois técnicos de cada central sindical e do ministério para discutir pontos do projeto e tentar acolher as propostas das entidades sindicais. Na reunião, as centrais defenderam a retirada do regime de urgência do projeto para que haja mais tempo para a discussão do texto.

O ministro reafirmou seu compromisso em fortalecer a representação sindical e garantir direitos dos trabalhadores. "Se deixar o trabalhador na sua singularidade para negociar, ele fica frágil. A bandeira que eu defendo é o fortalecimento do movimento sindical", disse.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, pediu que o projeto também contemple as federações e confederações como entidades de negociação envolvendo questões relacionadas aos trabalhadores. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) ponderou que a abertura de novas vagas de emprego depende do crescimento econômico e distribuição de renda.

O ministro disse que acolheria todas as críticas e sugestões do meio sindical e afirmou que o governo está empenhado em fazer as reformas que o país precisa. "O presidente Michel Temer nos orientou a ouvir, colher opinião e debater com os trabalhadores, para construir o texto. O importante é que existe essa disposição de sentar à mesa para dialogar e chegar a um ponto comum", declarou.

Nogueira disse que pretende visitar todos os 513 deputados e todas as centrais sindicais para defender o projeto de modernização da legislação trabalhista. "Vou defender a nossa proposta. Essa proposta que estamos discutindo aqui", disse aos sindicalistas. A reunião entre o ministro Ronaldo Nogueira e centrais sindicais aconteceu na tarde de sexta-feira (20), no Departamento Intersindical de Estudos Econômicos e Estatísticas (Dieese), em São Paulo.

Trabalho temporário - Após o encontro com as centrais sindicais, o ministro se reuniu com empresários do setor de serviços na sede do Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços Terceirizados de Colocação e Administração de Mão de Obra de Trabalho Temporário de São Paulo (Sindeprestem).

O presidente da Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado (Fenaserhtt), Vander Morales, disse que o ministro quebra um paradigma ao se reunir com trabalhadores e empresários em busca de um entendimento sobre a modernização das relações de trabalho e a empregabilidade no país. Segundo ele, a economia já dá sinais de recuperação.

O ministro declarou que o projeto de modernização da legislação trabalhista tem potencial para criar até cinco milhões de novos empregos. "Defender o trabalhador é defender o emprego", ressalta.

"Se alguém precisa ser reconhecido e exaltado é o presidente Michel Temer, que tem tido a coragem de fazer esse enfrentamento com uma posição de estadista, não pensando na próxima eleição, mas na próxima geração", disse o ministro. Ele afirmou que o Brasil não pode mais esperar pela modernização das relações de trabalho.

O diretor da Associação Brasileira de Recursos Humanos, Fernando de Carvalho Lima, disse que a entidade apoia o governo na busca de soluções para o crescimento do emprego no país. "Aceitamos e queremos essa proposta do diálogo. Estamos a sua disposição e parabenizando pela sua iniciativa e sua coragem", declarou.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Encontro Nacional de Especialistas em Marketing Jurídico

Participe do encontro nacional de especialistas em Marketing Jurídico dia 16 de fevereiro, em São Paulo, e descubra as tecnologias, mudanças recentes de comportamento e interesse do público-alvo. Descubra também como o marketing digital e de conteúdo se consolidarão como uma ferramenta indispensável para todos os tipos de negócios no cenário jurídico.

Fortaleça o Marketing do seu escritório! Saiba como usar as redes sociais para atingir o cliente de forma eficaz e gerar oportunidades. Esclareça as dúvidas e os mitos sobre Prospecção de Negócios para Advogados sem Infringir o Código de Ética da OAB.

Inscreva-se no 2º lote e ganhe R$ 400 de desconto até dia 20 de janeiro (11) 2364-0007

Programação:

8h50

Credenciamento e Welcome Coffee


9h00

Plano de Marketing: Como Aumentar a Efetividade de Marketing nos Escritórios?

– Como realizar um bom diagnóstico?
– Definição de prioridades
– Mensuração dos resultados

Salo Rapoport
Diretor de Negócios, Marketing e Inteligência do Souza Cescon Advogados


9h40

Melhores Métodos para Desenvolvimento do Marketing Jurídico de Relacionamento com Resultado

– Novas técnicas de atendimento personalizado
– Prospecção e fidelização de clientes

Fernanda Carneiro
Machado Meyer


10h20

Coffee Break e Networking


10h40

Plataformas Digitais para o Mercado Jurídico: Não é um Desafio e Sim uma Realidade

– Como fazer bom gerenciamento das ferramentas digitais para gerar Leads, Engajamento e Receita

Elaine C. Bassaco
Gerente Nacional de Marketing|Marketing Manager do Siqueira Castro Advogados


11h20

Branding Jurídico: Tendências para o Crescimento do Escritório

– Posicionamento da marca
– Percepção de valor para o cliente e diferencial competitivo

Corine Moura
Lobo & de Rizzo Advogados


12h00

Almoço e Networking


14h00

Debate: Marketing Jurídico de Resultado em Tempos de Crise

– Crise x Oportunidades
– Cases e melhores práticas já adotadas que geraram resultados
– Estratégias para se reinventar e se diferenciar

Corine Moura
Lobo & Rizzo Advogados

Daniela Christovao
TozziniFreire Advogados


15h20

Como Utilizar as Redes Sociais para Gerar Novas Oportunidades?

– As mídias sociais mais indicadas para advogados
– Como falar a língua do cliente
– Gestão das plataformas de acordo com o Código de Ética da OAB

Priscila Adaime
Sócia Fundadora Markle Comunicação


16h00

Coffee Break e Networking


16h20

Prospecção de Negócios para Advogados sem Infringir o Código de Ética da OAB

Claudio Bajona
Sócio da Legal MKT


17h00

Case prático de Marketing Jurídico

– Não existe mais marketing ONLINE e OFFLINE
– Marketing Integrado
– Grupo de Debates Arruda Alvim sobre o Novo CPC

Bruno Pedro Bom
Diretor de Atendimento da BBDE Marketing Jurídico


17h40

Momento de Perguntas e Respostas: Esclareça dúvidas sobre as melhores estratégias para o seu negócio, escritório ou departamento jurídico


18h00

Encerramento


Incluído

– Material de Apoio Digital: Palestras copiadas em pen drive
– Alimentação: Welcome Coffee / Coffee Break Manhã / Almoço /Coffee Break Tarde
– Estacionamento do Hotel
– Certificado de participação no Seminário

Investimento: Consulte tabela para grupos a partir de 2 executivos

R$ 1290 para inscrições pagas até dia 20/01
R$ 1490 para inscrições pagas até dia 10/02
R$ 1790 para inscrições pagas até dia 15/02

Informações e Inscrições: http://www.conceitoseminarios.com.br/

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

São Paulo receberá R$ 20,3 milhões de recurso adicional para combate ao Aedes

Aedes Aegypti


Todos os municípios de São Paulo receberão recurso exclusivo para qualificação das ações de combate ao Aedes em duas etapas. A segunda parcela será repassada a partir de resultados dos levantamentos de índice de infestação


Com a chegada do verão, o Governo Federal intensifica sua atuação contra o mosquito transmissor da Dengue, vírus Zika e febre Chikungunya. Para reforçar a prevenção, o Ministério da Saúde vai repassar a todos os municípios brasileiros e ao Distrito Federal R$ 152 milhões extras destinados as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Para os 645 municípios de São Paulo, serão destinados R$ 20,3 milhões ao enfrentamento ao vetor.

O recurso foi garantido em portaria publicada nesta quinta-feira (29) e deverá ser liberado aos municípios em duas etapas. Na primeira, R$ 91,2 milhões serão repassados a partir da data da publicação da portaria. Para o estado de São Paulo, a primeira parcela corresponde a R$ 12,1 milhões. O repasse da segunda parcela está condicionado ao cumprimento de alguns critérios, cujas informações deverão ser consolidas pelas Secretarias Estaduais de Saúde e repassadas ao Ministério até o dia 30 de junho de 2017.

Para receberem a segunda parcela de R$ 60,8 milhões, sendo R$ 8,1 milhões para São Paulo, os municípios deverão: realizar o Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) para os casos de cidades com mais de dois mil imóveis precisarão; já os municípios com menos de 2 mil imóveis deverão realizar o Levantamento de Índice Amostral (LIA); as cidades sem infestação do mosquito deverão realizar monitoramento por ovitrampa ou larvitrampa e, excepcionalmente serão consideradas as metodologias alternativas de levantamento de índices executados pelos municípios, desde que essas informações sejam repassadas ao Governo Federal.

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, considera de fundamental importância este recurso extra para as ações de prevenção e controle do vetor. “Com este reforço financeiro, os municípios vão poder concentrar ainda mais esforços no combate ao mosquito evitando, assim, a proliferação do mosquito e, consequentemente a transmissão da dengue, vírus Zika e chikungunya. A necessidade de realização de levantamentos de índices de infestação será uma ferramenta fundamental para qualificar as ações de prevenção e controle do mosquito”, reforçou o ministro.

LIRAa - Elaborado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com estados e municípios, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), é considerado um instrumento fundamental para orientar as ações de controle da dengue, o que possibilita aos gestores locais de saúde anteciparem as ações de prevenção. O último LIRAa, divulgado pelo Ministério da Saúde, em novembro deste ano, apontou que 855 cidades encontram-se em situação de alerta e risco de surto de dengue, chikungunya e zika. Isso representa 37,4% dos municípios pesquisados, enquanto que 62,8% dos municípios (1.429) estão em situação satisfatória.

DENGUE - O Brasil registrou, até 10 de dezembro, 1.487.673 casos de dengue. Considerando as regiões do país, Sudeste e Nordeste apresentam os maiores números de casos, com 855.425 casos e 323.558 casos, respectivamente. Em seguida estão as regiões Centro-Oeste (197.033), Sul (73.196) e Norte (38.461).

ZIKA - Foram 211.770 casos prováveis de febre pelo vírus Zika em todo o país, até o dia 10 de dezembro, o que representa uma taxa de incidência de 103,6 casos a cada 100 mil habitantes. A transmissão autóctone do vírus no país foi confirmada a partir de abril de 2015, com a confirmação laboratorial no município de Camaçari (BA). O Ministério da Saúde tornou compulsória a notificação dos casos de Zika em fevereiro deste ano. Desde então, estados e municípios vinham preparando seus sistemas de registros para encaminhar estas notificações ao Ministério da Saúde. Antes disso, o monitoramento do vírus Zika era realizado por meio de vigilância sentinela.

A região Sudeste teve 90.625 casos prováveis da doença, seguida das regiões Nordeste (75.733); Centro-Oeste (31.707); Norte (12.749) e Sul (956). Considerando a proporção de casos por habitantes, a região Centro-Oeste fica à frente, com incidência de 205,3 casos/100 mil habitantes, seguida do Nordeste (133,9); Sudeste (105,7); Norte (73,0); Sul (3,3).

CHIKUNGUNYA - Foram notificados, até 10 de dezembro, 263.598 casos prováveis de Chikungunya. Neste ano, foram registrados 159 óbitos pela doença, nos estados de Pernambuco (54), Paraíba (32), Rio Grande do Norte (25), Ceará (21), Rio de Janeiro (9), Alagoas (6), Bahia (4), Maranhão (5), Piauí (1), Sergipe (1) e Distrito Federal (1). Os óbitos estão sendo investigados pelos estados e municípios mais detalhadamente, para que seja possível determinar se há outros fatores associados com a febre, como doenças prévias, comorbidades, uso de medicamentos, entre outros.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

PROJETO ARTE E CULTURA NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA APRESENTA BIG BAND SÊNIOR

Por: Claudia Souza
Foto: Claudia Souza -  O público aplaude a apresentação no Teatro Olido em agosto/2016 


O show de lançamento da Big Band Sênior será dia 29/9 - quinta-feira, às 20 horas no Teatro do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Composta por 18 músicos com mais de 50 anos de idade e 20 anos de carreira, a Big Band Sênior incorpora o projeto da UPARS - União Paulista dos Artistas Sêniores, fundada pelo Maestro e pianista Adylson Godoy.

A associação, sem fins lucrativos, inicia seu projeto com a primeira Orquestra, com músicos afiliados e terá por objetivo criar mecanismos de incentivos e proporcionar trabalho e renda para músicos e cantores com o perfil citado.

Ainda no começo, em fase de adaptação às exigências burocráticas, pretende conseguir apoio de verbas governamentais para alavancar o projeto, ainda embrião, em funcionamento provisório no espaço cedido pela Ordem dos Músicos do Brasil, Conselho Regional do Estado de São Paulo, aonde os músicos da orquestra se encontram, organizam, debatem e ensaiam o repertório da Big Band Sênior.

Sob direção musical de Adylson Godoy, regência do trombonista Renato Farias e produção de Marcelo Fontanesi, a Big Bnd Sênior é composta por cinco saxofonistas, quatro trombonistas, quatro trompetistas, um pianista, um baixista, um baterista, um guitarrista e um percussionista. No palco, os dezoito músicos, contam ao grande público “A História das Big Bands”, reproduzindo um amplo repertório dos anos 40 até a atualidade, apresentando obras de Duke Ellington, Count Basie, Tommy Dorsey, Stan Keaton, Glenn Miller, Benny Goodman, Banda Tabajara, Silvio Mazzuca, Elcio Alvares e Luís Arruda Paes, entre outros.

Vídeo institucional:


Este show que abre o Projeto Arte e Cultura no Tribunal de Justiça, sob a supervisão do Desembargador Sidney Romano dos Reis, é destinado a magistrados, servidores e ao público em geral e a entrada é franca. Por medidas de segurança, os interessados em assistir o show devem se inscrever no e-mail: artenotj@tjsp.jus.br.

Serviço:

Local: Auditório do Gade MMDC (Avenida Ipiranga, 165).
(Antigo Hilton Hotel - Metrô República).
Dia e Horário: 29/9, às 20 horas.
Entrada franca

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

SHOW GRATUITO COM BIG BAND SÊNIOR NO TEATRO OLIDO



Inspirada nas Big Bands dos anos dourados, a Big Band Sênior está saindo do forno para se apresentar no Teatro Olido e no Auditório do Tribunal de Justiça - SP, inaugurando a iniciativa da UPARS – União Paulista dos Artistas Sêniores, que foi criada para incentivar mecanismos geradores de oportunidades para músicos com mais de 50 anos de idade e 20 anos de carreira.

O projeto com quase dois anos, tem como idealizador o Maestro e pianista Adylson Godoy. A ideia surgiu em uma conversa informal com o contrabaixista Amador Bueno, quando comentavam sobre a falta de políticas públicas para favorecerem os músicos profissionais, principalmente na área da música instrumental, pouco contemplada por patrocínios.

Não demorou muito e a UPARS foi fundada, tendo no casting inaugural, a Big Band Sênior, composta por 36 músicos renomados, da mais alta qualidade, dos quais, metade são intercalados entre as apresentações, aonde o caçula completou este ano 50 anos e o mais velho está com 90 anos de idade.

Composta por 5 saxofonistas, 4 trombonistas, 4 trompetistas, 1 pianista, 1 baixista, 1 baterista, 1 guitarrista e 1 percussionista; os 18 músicos juntos, contam ao grande público “A História das Big Bands” reproduzindo um amplo repertório dos anos 40 até a atualidade, que remonta Duke Ellington; Count Basie; Tommy Dorsey; Stan Keaton; Glenn Miller; Benny Goodman; Banda Tabajara; Silvio Mazzuca; Elcio Alvares, Luis Arruda Paes, entre outros.

A estreia tem por objetivo, documentar o trabalho que está sendo ensaiado há um ano aproximadamente nos bastidores do auditório da Ordem dos Músicos do Brasil, que cedeu gentilmente o espaço, para que os músicos desenvolvessem a Orquestra, reuniões, bem como a fundação da UPARS – União Paulista dos Artistas Seniores, que já está constituída, avançando do estado embrionário de associação, para constituição de uma OSCIP, que terá por objetivo, criar projetos de leis favoráveis aos músicos associados e captação de recursos governamentais a fim de fomentar os fazedores de cultura que estão atingindo a “melhor idade” e que em maioria não desfrutam de nenhuma política pública em detrimento de sua alta capacidade de realização.

“A Big Band Sênior é a prova de que o bom músico não tem data de validade e possui além da experiência, grande poder e força de vontade. Eles só precisam de um bom palco, condições técnicas e incentivo financeiro para mostrarem o seu melhor e contribuírem com a arte e a cultura musical de nosso país”. Disse Adylson Godoy, fundador da UPARS.

Através da UPARS, a Orquestra já está com o projeto aprovado pela Lei Rouanet (PRONAC nº 1410552, artigo 18) e em busca de captação de recursos.

Os músicos e cantores interessados em participarem da UPARS, podem se associarem gratuitamente no blog provisório http://upars.blogspot.com.br/p/associe-se-gratis.html para receberem informações de projetos futuramente criados para cada perfil de trabalho.


Próximas apresentações:

Dia 08/08 – 20 hs
Teatro Olido
Av. São João, 473 – Centro – São Paulo – SP
Entrada Franca
(Chegar 1 hora antes para retirar ingresso).

Dia 29/9 – 20 hs

Auditório do Tribunal de Justiça
(Antigo Hilton Hotel)
Av. Ipiranga, 165 – República – Centro – SP
Entrada Franca

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Programa ABC liberou R$ 2 bi em crédito no ano-safra 2015/2016

Recursos foram destinados ao uso de tecnologias de baixa emissão de carbono

Brasília (23/8/2016) - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) destinou R$ 2 bilhões em crédito rural, no ano-safra 2015/2016, para o Programa ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono). Essa linha financia tecnologias como a Recuperação de Pastagens Degradadas (RPD), Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF), Sistema Plantio Direto (SPD), Tratamento de Dejetos Animais (TDA), Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) e Florestas Plantadas (FP).

Lançado em julho de 2010, o ABC já investiu R$ 13,2 bilhões em um total de 28,5 mil contratos com produtores rurais, que abrangem 6,8 milhões de hectares. O programa promove a sustentabilidade da agropecuária brasileira e está alinhado à Política Nacional de Mudanças sobre o Clima, assinala a Coordenação de Manejo Sustentável dos Sistemas Produtivos da Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor Rural e do Cooperativismo.

Na comparação entre 2015/2016 e 2014/2015, houve retração no volume de contratações do ABC. No período anterior, os contratos somaram R$ 3,6 bilhões. Segundo a Coordenação de Manejo Sustentável dos Sistemas Produtivos, a queda para R$ 2 bilhões se deve à elevação nas taxas de juros da linha de crédito. Outro fator que também contribui para esse resultado foi o aumento do custo de produção.

Em compensação, o ciclo 2015/2016 teve elevação de 34% no valor médio dos contratos quando comparado com o de 2014/2015. O estado de São Paulo, por exemplo, apresentou incremento de mais de 5.500% no valor contratado para o Tratamento de Dejetos Animais. No Maranhão, houve crescimento de 1.100% no montante de contratação para Florestas Plantadas. Já Roraima aumentou em 1.400% a área de Recuperação de Pastagens Degradadas. A Região Norte registrou acréscimo de mais de 200% no valor contratados para Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta.

A meta do Plano ABC é atingir, com suas tecnologias, 30 milhões de hectares até 2020. A Recuperação de Pastagens Degradadas representa 50% desse total (15 milhões de hectares). Até 2015, a RPD já alcançou cerca de 41,3%, conforme dados do Mapa e do Banco Central (BC).

Ainda segundo as estatísticas do Ministério da Agricultura, a iLPF tem compromisso 13% do total do uso de tecnologias do ABC e já atingiu 6,3%. O Sistema Plantio Direto também superou a projeção: ele representa 27% e chegou a 36,7%. A tecnologia de Florestas Plantadas tem meta total de 10% e alcançou 15,8%.